Pular para o conteúdo principal

Quero receber Newsletter de Danielle SV

* indica obrigatório

Mailchimp intuitivo

Ecobags: moda e meio ambiente

 


Sim, esse é um blog cujo tema principal é Planejamento e Gestão! Sim, você encontra por aqui diversas indicações de livros porque ler e se atualizar constantemente faz parte do cotidiano de quem trabalha com liderança. Mesmo para quem não trabalha com planejamento e gestão a leitura e atualização frequente é muito relevante para vida profissional. Ler diversos e diferentes temas colabora com a visão ampla tão importante para tomada de decisão.

Este livro: ecobags moda e meio ambiente é mais um dos trabalhos de curadoria que a autora Lilian Pacce faz. Já indiquei outros livros dela por aqui como -  Pelo Mundo da Moda: criadores, grifes e modelos e O Biquíni made in Brazil ambos ótimas pesquisas. Você já leu algum deles? (me conta nos comentários o que mais lhe chamou atenção)

Sustentabilidade é um assunto que deveria estar sempre em alta afinal todo recurso que é finito deve ser bem gerenciado ao longo do tempo. Por longas décadas a relação do ser humano com a natureza foi de abundância. Sem nenhuma administração ou pensamento de finitude e hoje em dia existe emergência pelo gerenciamento adequado dos recursos naturais em todos os âmbitos. Na área da moda essa curadoria de Lilian Pacce se faz muito relevante e atual.


Contracapa do livro: Se há uma integração entre moda e meio ambiente, ela se dá no campo da criatividade. Cada vez mais se impõem em nossas vidas atitudes sustentáveis que nos colocam diante de situações novas, abrindo espaço para imaginar soluções que impliquem o menor impacto na natureza sem perder o que já conquistamos, no caso da moda, em design, qualidade e beleza.

Este livro é o resultado bem-sucedido da campanha Eu Não Sou de Plástico, realizada pela Secretaria do Verde e do Meio Ambiente da Prefeitura de São Paulo. Com o intuito de incentivar o uso de sacolas não descartáveis, grandes grifes e estilistas foram convidados a confeccionar sua própria bolsa para a exposição de ecobags, marcando assim o lançamento da campanha.

Lilian Pacce foi curadora da exposição e a ela foi delegada a tarefa de reunir nomes importantes do mundo da moda. Ficou surpresa com o sucesso da campanha e com a adesão dos estilistas. Bastaram alguns telefonemas, e todo mundo queria participar. 

O Senac São Paulo, que já havia aderido à campanha, reforça a iniciativa com a publicação deste livro.


Orelha do livro: A campanha Eu Não Sou de Plástico, da Prefeitura de São Paulo, trouxe para os brasileiros a discussão sobre a necessidade da mudança nos nossos hábitos de consumo. E teve a feliz ideia de reconhecer a contribuição que a moda e o design poderiam dar a essa questão, fundamental para todos nós. Sempre digo que a moda é um importante meio de comunicação, assim como o design exerce um papel transformador pela sua capacidade de se valer da estética para tratar de questões contemporâneas. 

Acredito que só é possível falar de sustentabilidade se houver união entre seus aspectos social, ambiental e econômico, um necessariamente exercendo influência sobre os outros, compondo um todo indissolúvel. Essas diretrizes acabam resultando em iniciativas mundo afora. Foi com esse olhar que, em meados da década de 1990, comecei a planejar o e-brigade - movimento que prega um protagonismo individual rumo à troca de conceitos por atitudes - e que pouco mais tarde fundei o instituto, que existe para cumprir a missão de promover o Brasil como o país do desenvolvimento humano sustentável. 

Há diversas maneiras de fazer com que nosso país ocupe esse lugar que lhe é devido, e certamente uma delas é essa que a Lilian abraçou com a sua competência e seu bom gosto habitual. Ao reunir esses exemplares de ecobags, mostrou  quanto valor agregado pode estar presente nessas peças de moda com forte conteúdo socioambiental, compartilhando da bandeira que faço questão de divulgar por meio do meu trabalho. Ou seja, a de que a nossa criatividade, aliada à imensa biodiversidade brasileira, nos credencia a preconizar uma nova atitude e um novo paradigma para este milênio. 

Oskar Metsavaht
Diretor criativo da Osklen e fundador do Instituto e


Sobre a autora: Autoridade em moda, Lilian Pacce tem um olhar de lince para todo tipo de comportamento relacionado ao assunto. Além da formação como jornalista, Lilian estudou no London College of Fashion e na Saint Martin's School of Fashion, em Londres.

Lilian Pacce é apresentadora e coordenadora editorial do GNT Fashion, programa semanal de moda do canal GNT (Globo-Sat) e diretora do site lilianpacce.com.br . Tem uma coluna diária na rede Eldorado AM/FM, é crítica de moda do jornal O Estado de S. Paulo e ministra palestras sobre moda, tendências, comportamento e ecotendências. 

Lilian começou a cobrir os desfiles do eixo Paris-Milão-Londres-Nova York 1987, para a Folha de S. Paulo, onde editou a página semanal de moda do caderno ilustrado e a Revista da Folha até 1992, quando se mudou para Londres. De 1995 a 1996 foi editora de moda e de suplementos do Jornal da Tarde, diretora do Boletim da Moda e consultora de moda do programa Moda Esporte Clube da MTV. Foi diretora de redação da revista Mercado Mundo Mix de 1998 a 2000.

Crítica de moda do Caderno 2 do jornal O Estado de S. Paulo desde 1996, Lilian Pacce é autora de Pelo mundo da moda: criadores, grifes e modelos (Editora Senac São Paulo, 2006), Dicionário adesivo para brincar, colar e pintar (1995), e do capítulo sobre biquíni em O pretinho básico (2004) e coautora de Herchcovitch, Alexandre (2002). Foi consultora da Coleção Universo da Moda da editora Cosac & Naify. Leciona em instituições como FGV, Faap, Universidade Anhembi Morumbi e Centro Universitário Senac.

Em 1998 e 2000, recebeu o prêmio de melhor jornalista de moda do país. O primeiro pelo Phytoervas Fashion e o segundo pela Abit Fashion Brasil, da Associação Brasileiro da Indústria Têxtil (Abit).

Lilian é pioneira campanha contra o uso de sacolas de plástico descartáveis. Convidada por Eduardo Jorge Martins Alves Sobrinho, secretário Municipal do Verde e do Meio Ambiente da Prefeitura de São Paulo, fez a curadoria da exposição do lançamento da campanha Eu Não Sou de Plástico, em 2007, com o objetivo de incentivar a redução do uso de sacolas descartáveis, pricipalmente as de plástico, que demoram até quinhentos anos para se decompor. Para o evento, 120 grifes e estilistas renomados, desde participantes do São Paulo Fashion Week até jovens da Casa de Criadores, proziram ecobags utilizando materiais diersos com design criativo, mostrando para o consumidor que é possível colaborar com o meio ambiente sem perder o estilo. 


Livro - ecobags: moda e meio ambiente 
Autora: Lilian Pacce
Número de páginas: 261
ISBN: 978-85-7359-864-3
Edição: 2009



Posts Relacionados


A história das coisas: da natureza ao lixo, o que acontece com tudo que consumimos







Sabia que aqui no blog tem mais de 100 títulos que já li e gostei?


Quais assuntos e ou livros você gostaria de ver por aqui? Escreve aqui embaixo ou me manda nas redes sociais:

Instagram: @svdanielle

Facebook: @svdanielle 

Tik Tok: @sv.danielle

Facebook: @sobremarmita (Marmita: para levar para o trabalho e ou piquenique)

Facebook: @dsegundamao (Sustentabilidade)

Bom trabalho!




Abaixo banner da evino que é um anunciante aqui do blog. A evino é uma loja de vinhos online que oferece grandes descontos em produtos altamente compativeis. Venha experimentar um novo conceito de saborear o sabor da vida. Clica no banner e vai espiar!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Regras para geladeira coletiva (Material de apoio exclusivo na Loja)

  1 - Lembre que ela é coletiva e não apenas sua:  Os bons hábitos de higiene e limpeza devem prevalecer em uma geladeira coletiva . Mas se você não tem bons hábitos de higiene e limpeza não se preocupe: sempre é tempo de aprender. Os relacionamentos melhoram quando todos respeitam o ambiente coletivo. 2- Armazene os seus alimentos em um espaço específico dentro da geladeira. Um alimento em cada canto, não: ok? Uma maçã em uma prateleira, um pote em outra e a garrafinha em outra: não é prático. Se todos os alimentos estiverem concentrados apenas em um canto da geladeira será mais fácil administrar a validade deles. 3 - Consuma apenas o que é seu!  Pode parecer estranho para alguns essa colocação mas para outros não! É muito comum uns consumirem os lanches dos outros sem permissão? Sim! Não deveria ser assim? Não! Mas sempre é tempo de aprender e ter atitudes melhores . Principalmente, na geladeira coletiva da empresa.  4 - Derramou algo? no mesmo momento: limpe. Cada um deve limpar

Regras para uso de geladeira coletiva? (Material de apoio exclusivo na Loja)

Tenho geladeira coletiva na empresa, precisa ter regras? Sim! As regras, por alguns motivos, são muito  importantes - aqui destaco dois deles: 1)  a cultura da empresa deve estar em todos os lugares (Regras fazem parte da cultura empresarial) e 2) para o bom andamento de qualquer atividade coletiva deve existir regras. Preferencialmente, que as regras sejam postas antes de começar "o jogo" para que todos entendam como devem se comportar. Ter um Guia de uso na porta da geladeira coletiva da empresa ou próximo a ela será útil.  Utensílios que estão à disposição de várias pessoas devem ter regras de uso e higiene caso contrário cada um agirá da forma que faz em casa. E dessa maneira não funciona pois cada ambiente deve ter suas próprias regras e que sejam para todos, principalmente, os ambientes profissionais . Sem regras: um ambiente como a cozinha pode ser um estopim para desavenças e essas desavenças, geralmente, acabam se estendendo para atividades do cotidiano de trab

Geladeira coletiva da empresa: não deixe comida velha!

Assunto que pode parecer um pouco estranho para alguns - já para outros nem tanto! É muito comum, inclusive, as empresas abolirem a geladeira em virtude dos maus hábitos dos colaboradores. Se você é a pessoa que esquece comida dentro da geladeira e nunca mais lembra até criar mofo: anote na agenda uma vez por semana fazer uma limpa ou melhor tenha um dia especial para fazer a limpeza em seus alimentos. Quem sabe todas as sextas-feiras, assim, não fica comida ruim na geladeira no final de semana. A geladeira da empresa é um utensílio coletivo que deve ser tratado com educação e cuidado por todos. Deixar os alimentos envelhecerem dentro dela é o verdadeiro descaso com o resto dos colegas. Não espere que um colega lhe avise que tem algo ruim seu na geladeira. A responsabilidade por manter limpo o que usa é de cada um. Assuma as responsabilidades que são suas e evite estresses desnecessários com os colegas ou com os superiores. Ambiente coletivo todos devem ser colaborativos