Pular para o conteúdo principal

Quero receber Newsletter de Danielle SV

* indica obrigatório

Mailchimp intuitivo

Direto de Washington: W. Olivetto por ele mesmo


Sim, esse é um blog cujo tema principal é Planejamento e Gestão! Sim, você encontra por aqui diversas indicações de livros porque ler e se atualizar constantemente faz parte do cotidiano de quem trabalha com liderança. Mesmo para quem não trabalha com planejamento e gestão a leitura e atualização frequente é muito relevante para vida profissional. Por isso, trago indicações de livros. Inclusive, aqui no blog tem uma página específica com a lista de todos os livros que você encontra no blog. E ainda, para colaborar com você no final do texto vou deixar o link para que você possa adquirir o livro na Amazon.

Na contracapa do livro de Washington Olivetto temos: Washington Olivetto é o publicitário que não quis ser apenas um grande publicitário. Resolveu ser um homem de negócios que se transformou num pop star. 

Ganhou o primeiro Leão de Ouro do Brasil em Cannes, conquistou todos os prêmios da publicidade mundial, entrou para o Guinness Book of Records, inspirou personagem de novela, virou letra de músicas de sucesso, nome de pratos em restaurantes famosos, selo do correio do seu país, vice-presidente do seu time de futebol, cidadão carioca sendo paulista, commerndatore italiano sendo brasileiro.

Washington Olivetto está no Lifetime Achievement do Clio e foi o primeiro não anglo-saxão a entrar para o Hall of Fame do One Club de Nova York. Neste livro ele conta algumas histórias que ajudam a compreender como o grande publicitário criou o seu melhor personagem: ele próprio.

Minha experiência com a leitura foi: ⭐⭐⭐⭐⭐

Para quem gosta do tema publicidade o relato de Washington Olivetto, diante da própria experiência, é ótimo. Principalmente, porque ele conta muitas histórias da publicidade no Brasil e no Mundo ao longo de algumas décadas. Em sua maior parte o livro é fluído e de escrita bem humorada! Leitura leve e fluída. 

Quem escreveu a orelha do livro foi Luis Fernando Silva Pinto, também direto de Washington e nela ele diz o seguinte: Talento não é o forte do Washington. Ele até tem, coisa que muitas brasileiras poderiam comprovar se voltassem décadas no tempo e descobrissem que, quando escolheram o primeiro sutiã, estavam convencidas de que era não só uma peça íntima, mas um marco importante na vida delas. Uma autoconfiança monumental é necessária para traçar um arco narrativo entre lingerie e rito de passagem...sem nunca ter usado sutiã. Mas essa é a prova da confiança inesgotável do Washington, aquilo que de alguma forma ele colheu nos arquivos da família Olivetto, nos filmes que viu, no livros e gibis que leu, nos aprontos da adolescência...e que produziu fina esperteza, bom gosto, noção estética...

Isso deu a ele a certeza (sempre absoluta) de que dá para fazer...melhor. O quê? Não importa. Fundar uma agência de publicidade...Outra...E outra. Bolar campanhas engraçadinhas. Ou seríssimas. Mudar o tom da propaganda brasileira, misturando sofisticação com provocação. E a isso somar alguns "a mais": o Washington respeita e credita o trabalho dos outros. Admira o que é de admirar. É generoso por índole, vocação e educação. E sempre manteve o ego na coleira.

Claro, o Washington sendo o Washington, a coleira muitas vezes foi solta demais. Porém, por bons motivos: para não dar mole à falsa modéstia ou...para chutar um pouco o pau da barraca, o que também tem o seu lugar...Na antiga W/Brasil, ele providenciou um enorme quadrado de vidro. Grande o suficiente para colocar lá um pequeno carro. Jogados, literalmente jogados dentro, havia Clios, Leões de Ouro, prêmios de Profissional do Ano. Fazer um monumento irônico ao próprio sucesso exige convencimento. Mas exige primeiro que o convencido tenha feito sucesso. 

São as complexidades do Washington, que extrapolam a experiência, o brilho. Vêm do coração. Ele é um privilegiado intelectual, um dândi do consumo e, no entanto, conversa (de repente arma encrenca?) em qualquer padaria da esquina. Ele permanece o garota da Lapa, com a mensagem aguda que usou para invadir o Olimpo dos Jardins em Sampa, só querendo saber o que - quem? - levantar - ou deixar na poeira. 

A tortura que foi o sequestro do Washington teve um desfecho marcante. Quando os sequestradores saíram momentaneamente da casa onde ele era refém, a música constante, capaz de enlouquecer qualquer ser humano, de repente parou de tocar na minúscula cela em que ele estava. É que a luz tinha acabado. Fazendo uma alavanca com as costas e os pés, o Washington forçou uma fresta na parede, suficiente para a vizinha, estudante de medicina, ouvir com um estetoscópio (pessoa esperta!) a frase maluca do Olivetto: "Chamem as rádios!"

Quantos de nós não teríamos ficado quietos, medrosos naquela cela, apavorados com as consequências de tentar escapar? Mas, quieto, O Washington nunca foi. Ele quis as rádios, mais imediatas que a TV, mais emocionantes que as redes sociais. E assim, literalmente, ganhou a própria liberdade. 

Chamem as rádios...Como catz isso passa pela cabeça de alguém depois de 52 dias e 23 horas sob o risco de perder a vida? Passa pela Cabeça de quem tem coração, o primeiro ingrediente da coragem. O que me remete ao início. Talento não é o forte do Washington. Correção é. Ah, acho que eu tenho que falar do livro...É um sarro. As histórias são imperdíveis, vão preencher vários vazios da sua própria história. Divirta-se. Na única e melhor máquina do tempo criada pela humanidade, o livro, você terá o Washington só para você, como eu tenho: um grande, grande amigo. 

 

Livro: Direto de Washington: W. Olivetto por ele mesmo
Autor: Washington Olivetto
Editora: Estação Brasil
Número de páginas: 398
Edição: 2018


Como prometi, abaixo segue o link da Amazon para que você possa adquirir o livro que citei acima. O blog é parceiro Amazon então quando você compra com meu link apoia o conteúdo para que ele siga existindo cada vez mais e melhor:








Posts Relacionados:








                                                                       Livro: Atitude






Esse é o mês do BEDA (Blog Every Day Augusto) aqui no blog e quem participa dessa ação, também, é o blog Mãe Literatura. Te convido para visitar ele. 


                                                      BEDA (Blog Every Day August)





Sabia que aqui no blog tem mais de 100 títulos que já li e gostei?


Quais assuntos e ou livros você gostaria de ver por aqui? Escreve aqui embaixo ou me manda nas redes sociais:

No Instagram: @svdanielle

No Facebook: @svdanielle (Descontos e informações)

No Facebook: @sobremarmita (Marmita: para levar para o trabalho e ou piquenique)

No Facebook: @dsegundamao (Sustentabilidade)

Bom trabalho!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Regras para geladeira coletiva (Material de apoio exclusivo na Loja)

  1 - Lembre que ela é coletiva e não apenas sua:  Os bons hábitos de higiene e limpeza devem prevalecer em uma geladeira coletiva . Mas se você não tem bons hábitos de higiene e limpeza não se preocupe: sempre é tempo de aprender. Os relacionamentos melhoram quando todos respeitam o ambiente coletivo. 2- Armazene os seus alimentos em um espaço específico dentro da geladeira. Um alimento em cada canto, não: ok? Uma maçã em uma prateleira, um pote em outra e a garrafinha em outra: não é prático. Se todos os alimentos estiverem concentrados apenas em um canto da geladeira será mais fácil administrar a validade deles. 3 - Consuma apenas o que é seu!  Pode parecer estranho para alguns essa colocação mas para outros não! É muito comum uns consumirem os lanches dos outros sem permissão? Sim! Não deveria ser assim? Não! Mas sempre é tempo de aprender e ter atitudes melhores . Principalmente, na geladeira coletiva da empresa.  4 - Derramou algo? no mesmo momento: limpe. Cada um deve limpar

Regras para uso de geladeira coletiva? (Material de apoio exclusivo na Loja)

Tenho geladeira coletiva na empresa, precisa ter regras? Sim! As regras, por alguns motivos, são muito  importantes - aqui destaco dois deles: 1)  a cultura da empresa deve estar em todos os lugares (Regras fazem parte da cultura empresarial) e 2) para o bom andamento de qualquer atividade coletiva deve existir regras. Preferencialmente, que as regras sejam postas antes de começar "o jogo" para que todos entendam como devem se comportar. Ter um Guia de uso na porta da geladeira coletiva da empresa ou próximo a ela será útil.  Utensílios que estão à disposição de várias pessoas devem ter regras de uso e higiene caso contrário cada um agirá da forma que faz em casa. E dessa maneira não funciona pois cada ambiente deve ter suas próprias regras e que sejam para todos, principalmente, os ambientes profissionais . Sem regras: um ambiente como a cozinha pode ser um estopim para desavenças e essas desavenças, geralmente, acabam se estendendo para atividades do cotidiano de trab

Geladeira coletiva da empresa: não deixe comida velha!

Assunto que pode parecer um pouco estranho para alguns - já para outros nem tanto! É muito comum, inclusive, as empresas abolirem a geladeira em virtude dos maus hábitos dos colaboradores. Se você é a pessoa que esquece comida dentro da geladeira e nunca mais lembra até criar mofo: anote na agenda uma vez por semana fazer uma limpa ou melhor tenha um dia especial para fazer a limpeza em seus alimentos. Quem sabe todas as sextas-feiras, assim, não fica comida ruim na geladeira no final de semana. A geladeira da empresa é um utensílio coletivo que deve ser tratado com educação e cuidado por todos. Deixar os alimentos envelhecerem dentro dela é o verdadeiro descaso com o resto dos colegas. Não espere que um colega lhe avise que tem algo ruim seu na geladeira. A responsabilidade por manter limpo o que usa é de cada um. Assuma as responsabilidades que são suas e evite estresses desnecessários com os colegas ou com os superiores. Ambiente coletivo todos devem ser colaborativos