Pular para o conteúdo principal

Atendimento ao cliente no WhatsApp (Série 3/6)



Quando estiver com o cliente no whatsapp tente criar uma conversa com ele para entender o que ele deseja de fato. Qual o problema que ele tem que o levou a procurar o seu comércio para solucionar? Entregue soluções para o cliente e não mais problemas. Faz parte da solução explanar ao máximo as características do produto ou serviço pelo qual o cliente se interessou. Paciência, atenção tranquilidade nesse momento.

A conversa com o cliente é para tentar entender o que ele gosta ou que ele procura. Desenvolva o assunto não fique apenas respondendo o que ele pergunta. Se importe com a pessoa que está do outro lado, seja genuíno e tente sanar as dúvidas do cliente ao máximo mesmo que dessa vez ele não compre. O cliente que é bem atendido e com dedicação jamais esquece!

Trazer solução para o cliente é além de tentar interpretar o que ele diz mostrar o máximo de características dos produtos ou serviços que ele se interessou. Com fotos de diversos ângulos para que ele entenda, mesmo a distância, do que é feito o produto, o tamanho, o peso, se tem relevo ou se é liso, isso quer dizer, características por completo. Além disso, explane ao máximo os benefícios do produto ou serviço oferecido, isso quer dizer, quer dizer para que ele serve? quais as soluções ele oferece? soluções óbvias e além do óbvio.

Se o cliente não perguntar tantas características e benefícios explane igual as possibilidades pois assim você instrui o cliente em que tipo de atendimento ele deve confiar. Lembre também: quanto mais detalhes do produto menos chances de troca. 

Mesmo que o cliente não compre dessa vez ele é um cliente conquistado pelo atendimento e pela confiança que foi passada durante o contato. Não meça esforços para ser atencioso e solícito. Quando formular respostas tente que elas não tenham apenas uma palavra como: sim! não! ou duas: pode ser! não sei! Esse tipo de afirmação ou negação restringe a conversa e pode dar a entender ao interlocutor falta de boa vontade do vendedor ou da loja.


Essa postagem faz parte de uma série de seis. Essa é a terceira postagem da série a primeira foi: Atendimento a distância: primeiros passos (Série 1/6) e a segunda foi: Escolhas das ferramentas para venda! (Série 2/6). Os próximos três dias irei explanar cada um dos três itens restantes: um a um. Se você é comerciante e ainda ficou com dúvidas em qualquer um deles fique a vontade para entrar em contato comigo.

Posts Relacionados:

Atendimento a distância: primeiros passos (Série 1/6)

Escolhas das ferramentas para venda! (Série 2/6)

Cobrança na venda a distância (Série 4/6)

Hora de trabalhar em conjunto

Aprendizados que a quarentena me trouxe

No meu instagram faço postagens sobre trabalho: Desenvolvimento profissional, livros, marmitas, mentoria, relacionamentos no trabalho e sustentabilidade! Me segue por lá: @svdanielle

No Facebook: @svdanielle

Meu canal do youtube: Danielle SV

Para receber por e-mail posts e novidades se inscreve no blog!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livro: Meu livro da consciência: 365 mensagens para nossas boas escolhas de cada dia

Esse livro é um dos que uso muito: é pequeno deve ter em torno de 12 cm x 17 cm mas tem 400 páginas. Acho ele otimista sem ser exagerado e traz reflexões que muitas vezes ficam lá guardadas no subconsciente. O título é bem propício pois traz reflexões para que sejam conscientizadas e adequadas para realidade de cada um.  O autor é Terapeuta e professor universitário. Esse é um livro que pode ser usado em diversos momentos da vida mas nesses momentos de insegurança e descrença mundial é ainda mais útil. Cada folha dele tem data (sem ano) e uma reflexão para o dia. É bom colocar na balança determinados assuntos como: vida profissional, forma de vida cotidiana, pessoas e coisas que não acrescentam etc. Enfim, uma vida mais leve e satisfatória de acordo com as expectativas de cada um. Livro: Meu livro da Consciência: 365 mensagens para nossas boas escolhas de cada dia Autor: Tadashi Kadomoto Editora: Gente  Número de páginas: 400 ISBN: 978-85-452-0212-7 Ano da Edi

Doando Plantas: que você não quer mais!

Que tal doar as plantas que você não quer mais? Aqui surge uma oportunidade para aqueles que tem uma planta, árvore e ou flor em casa e também para aqueles que não têm plantas mas querem ter. Se você tem uma planta em sua casa ou no seu escritório que não vingou  e ou quer mudar a decoração e não sabe o que fazer com elas? Doe! Sabe aquele velho ditado "se você não quer tem quem queira" essa situação se aplica! Porque colocar no lixo algo que ainda pode ser cuidado por alguém? As vezes a situação é de viagem: vai viajar? passar um bom tempo fora e não tem quem cuide de suas plantas? quem sabe doar para alguém que se interesse antes de viajar? Conte para todos que você conhece que está doando! Via mídias sociais! Tire fotos e mostre para os amigos! logo aparecerá um novo lar para sua planta!   Caso deseje escrever uma mensagem aqui nesse post como tantas pessoas já fizeram: lembre de escrever qual seu Estado, sua Cidade e suas redes sociais pois o blog rec

Qual a diferença de assiduidade e pontualidade

Assiduidade é o caso do profissional que aparece com frequência ao trabalho. Isso quer dizer é assíduo naquele local. Já pontualidade é a situação daquele profissional que cumpre com suas obrigações em dia e hora marcada (sem atrasar trabalhos ou compromissos). As duas situações caminham paralelas na vida de um bom profissional. Sim! Ser assíduo e pontual é parte das características de um bom profissional. Quer dizer que se você está pecando em uma delas: precisa melhorar. Assiduidade e pontualidade são duas qualidades de profissionais que cumprem com o que prometem, que empregam sua palavra e fazem acontecer. Geralmente, esse profissional não dá muitas desculpas para o que deixou de fazer e sim é focado em resultados coerentes com o prometido. Para ser considerado pontual é necessário ser assíduo - nesse caso eu poderia ouvir: mas a pessoa quando aparece no trabalho ela é pontual. A pessoa que falta demais ao trabalho (sem justificavas coerentes com um profissional)