Pular para o conteúdo principal

Confie em si

 


Logo que escrevo essa frase: confie em si! Penso, como né? Como confiar em si quando falta confiança em seus próprios atos? Confiar é acreditar que é possível concretizar aquilo que se propôs e para acreditar a gente precisa dar um passo por vez.

Querer que as coisas aconteçam por um passe de mágica não vai acontecer ok? Sendo assim, quem sabe começar exercitando os pontos que se gostaria de ter mais confiança? Por exemplo: o profissional deseja que suas opiniões sejam ouvidas, porém não consegue dar uma ideia ou fazer uma colocação em uma reunião com os colegas (passa toda reunião calado). Quem sabe na próxima reunião você se propor a fazer uma colocação? que tal escrever o seu apontamento e levar anotado para ler aos colegas no momento propício? 

É aos poucos e com pequenos passos que se consegue chegar longe sabia? Não acredite em profissionais ou vidas perfeitas elas não existem! Todos nós temos vulnerabilidades em algum ou alguns pontos da vida e só conseguimos vencê-las quando nos determinamos a enfrentar. Porém, profissionalmente eu sempre recomendo que sejam pequenos passos constantes. Considerando nosso exemplo - conseguiu fazer a primeira colocação na reunião? Pode ser que da primeira vez você leve anotado e não consiga ler mas não desista! Leve anotado até conseguir. E depois da primeira vez - na próxima repita o processo: leve a colocação e leia e assim faça até se sentir seguro para fazer duas colocações e não mais uma.

Mas como posso começar a ler o papel na frente dos colegas? Uma sugestão: "Levante a mãe dessa forma você irá sinalizar que deseja falar e diga: "Colegas trouxe uma ideia - anotei nesse papel para ler para vocês e dessa forma ser mais clara em minha colocação". Um passo de cada vez - cada dia um "tijolo" na construção da confiança própria.

Posts Relacionados:






Gostou do conteúdo? Quais assuntos e ou livros você gostaria de ver por aqui? Escreve aqui embaixo ou me manda nas redes sociais:

No instagram: @svdanielle

No Facebook: @svdanielle

No youtube: Danielle SV

Para receber minhas cartinhas uma vez por mês - todo dia 17: Clica aqui vem ver como faz!

Para saber as respostas para as perguntas que mais nos fazem: Clica aqui e vem ver!

Para marcar Mentoria ou Treinamentos: Clica aqui e vem ver a Loja 

Para conhecer nossas assinaturas e colaborar com o blog: Clica aqui e vem ver @daniellesv

Bom trabalho!



Comentários

  1. Olá!
    Amei essa dica de um tijolinho por vez. nada acontece da noite para o dia, tudo deve ter constância e muita força de vontade para afzer acontecer. programar e estudar uma rotina e tentar ao máximo ter essa disciplina é necessário para que tudo ande como desejamos.
    Beijos.


    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vanessa! Fico muito feliz que gostaste! A jornada é ainda mais importante do que a chegada em si. Beijocas

      Excluir

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!
Felicidades!

Postagens mais visitadas deste blog

Geladeira coletiva da empresa: não deixe comida velha!

Assunto que pode parecer um pouco estranho para alguns - já para outros nem tanto! É muito comum, inclusive, as empresas abolirem a geladeira em virtude dos maus hábitos dos colaboradores. Se você é a pessoa que esquece comida dentro da geladeira e nunca mais lembra até criar mofo: anote na agenda uma vez por semana fazer uma limpa ou melhor tenha um dia especial para fazer a limpeza em seus alimentos. Quem sabe todas as sextas-feiras, assim, não fica comida ruim na geladeira no final de semana. A geladeira da empresa é um utensílio coletivo que deve ser tratado com educação e cuidado por todos. Deixar os alimentos envelhecerem dentro dela é o verdadeiro descaso com o resto dos colegas. Não espere que um colega lhe avise que tem algo ruim seu na geladeira. A responsabilidade por manter limpo o que usa é de cada um. Assuma as responsabilidades que são suas e evite estresses desnecessários com os colegas ou com os superiores. Ambiente coletivo todos devem ser colaborativos

Doando Plantas: que você não quer mais!

Que tal doar as plantas que você não quer mais? Aqui surge uma oportunidade para aqueles que tem uma planta , árvore e ou flor em casa e também para aqueles que não têm plantas mas querem ter. Se você tem uma planta em sua casa ou no seu escritório que não vingou  e ou quer mudar a decoração e não sabe o que fazer com elas? Doe! Sabe aquele velho ditado "se você não quer tem quem queira" essa situação se aplica! Porque colocar no lixo algo que ainda pode ser cuidado por alguém? As vezes a situação é de viagem: vai viajar? passar um bom tempo fora e não tem quem cuide de suas plantas ? quem sabe doar para alguém que se interesse antes de viajar? Conte para todos que você conhece que está doando! Via mídias sociais! Tire fotos e mostre para os amigos! logo aparecerá um novo lar para sua planta!   Caso deseje escrever uma mensagem aqui nesse post como tantas pessoas já fizeram: lembre de escrever qual seu Estado, sua Cidade e suas redes sociais pois o blog recebe lei

Livro: Meu livro da consciência: 365 mensagens para nossas boas escolhas de cada dia

Esse livro é um dos que uso muito: é pequeno deve ter em torno de 12 cm x 17 cm mas tem 400 páginas. Acho ele otimista sem ser exagerado e traz reflexões que muitas vezes ficam lá guardadas no subconsciente. O título é bem propício pois traz reflexões para que sejam conscientizadas e adequadas para realidade de cada um.  O autor é Terapeuta e professor universitário. Esse é um livro que pode ser usado em diversos momentos da vida mas nesses momentos de insegurança e descrença mundial é ainda mais útil. Cada folha dele tem data (sem ano) e uma reflexão para o dia. É bom colocar na balança determinados assuntos como: vida profissional , forma de vida cotidiana, pessoas e coisas que não acrescentam etc. Enfim, uma vida mais leve e satisfatória de acordo com as expectativas de cada um. Livro: Meu livro da Consciência: 365 mensagens para nossas boas escolhas de cada dia Autor: Tadashi Kadomoto Editora: Gente  Número de páginas: 400 ISBN: 978-85-452-0212-7 Ano