Pular para o conteúdo principal

Quero receber Newsletter de Danielle SV

* indica obrigatório

Mailchimp intuitivo

Planejamento e gestão à serviço da tecnologia


Comecei a estudar tecnologia em 2021 e de lá para cá gosto cada dia mais e estou cada vez mais envolvida aplicando o pensamento computacional e a tecnologia em meu cotidiano. Comecei a trabalhar muito cedo e grande parte da vida usei sistemas de gestão que se chamam ERP. Que nada mais é do que um sistema de software que ajuda a administrar os processos de toda a empresa: finanças, recursos humanos, produção, cadeia de suprimentos, serviços etc. E com eles é possível não apenas controlar mas fazer avaliações interessantíssimas para o desenvolvimento do negócio.

Comecei a usar esse tipo de sistema nos anos 90 e de lá para eles mudaram tanto que nem se parecem com os antigos. Ficaram muito mais ágeis e interessantes para um negócio - o acesso a eles pode ser feito pela nuvem, usam tecnologia de inteligência artificial (IA) e Machine Learning (o Google usa muito). Mas os sistemas ERPs não são usados apenas por grandes empresas como o Google - ele está no comércio, nos serviços e na indústria e não importa o tamanho que ela seja. 

Nesses anos de vida profissional percebi que as empresas usam muito pouco a capacidade do sistema e que poderiam usar muito mais. Na minha pequena amostra de vida observei que falta conhecimento de administração na prática para entender como potencializar o cotidiano com esse sistema tecnológico. Com essa observação em mãos comecei a estudar tecnologia para entender como o planejamento e gestão (nesse caso eu) poderia estar à serviço da tecnologia.

Em uma aula de introdução ao Scrum na Dio o professor apresenta gráfico e explica um pouco dos desafios do desenvolvimento de software e que o princípio de Pareto que também é conhecida como curva ABC ou gráfico de Pareto. Essa é uma ferramenta de gestão muito útil pois ela aponta problemas, erros, riscos e outros efeitos relacionados por ordem de importância. 

Seguindo no gráfico da imagem foi aplicado o princípio de Pareto e se observou que 45% do softwares os clientes nunca usam, 19% eles raramente usam, 16% às vezes usam e que apenas 20% está em frequentemente e sempre. Isso quer dizer que: 20% das funcionalidades costumam gerar 80% ou mais do benefício esperado (pode parecer bom?) mas e todo o trabalho envolvido para desenvolver esse software? e todo o custo de desenvolvimento?

Aqui fica uma indagação: quanto desse desafio poderia ser minimizado se os clientes conseguissem ver a utilidade daquela tecnologia de forma aplicada em seu cotidiano? Nas empresas por onde passo estou sempre disposta a colaborar com essa tradução dando ideias e trazendo o planejamento e a gestão mais para perto da tecnologia de forma prática e aplicável na realidade de cada cliente.

Em um país como o Brasil que o empreendedorismo cresce a cada ano precisamos investir mais em traduzir a tecnologia para o cliente. Traduzir com as características próprias do negócio dele para que ele consiga aplicar ao seu cotidiano e assim use a maior parte dos sistemas que são desenvolvidos. 




Posts Relacionados:





Diversidade: de pessoas para pessoas



Sabia que aqui no blog tem mais de 50 títulos que já li e gostei?

A maior parte dos meus livros compro são na Amazon então deixo abaixo link para você, também, poder ver os livros na Amazon.  Se você não tem tempo agora mas quer lembrar de ver em outro momento faz como eu: entra na Amazon e coloca o livro no carrinho para ver depois.


Gostou do conteúdo? Quais assuntos e ou livros você gostaria de ver por aqui? Escreve aqui embaixo ou me manda nas redes sociais:

No Instagram: @svdanielle

No Facebook: @svdanielle

No Facebook: @sobremarmita (Marmita: para levar para o trabalho e ou piquenique)

No Facebook: @dsegundamao (Sustentabilidade)

Bom trabalho!


Abaixo o banner do Grupo A que é um anunciante aqui do blog e está preparado para ajudar pessoas e instituições a encontrarem respostas para os desafios da educação. Estudantes, professores, médicos, engenheiros, psicólogos. Profissionais das carreiras que ainda não têm nome. Universidades, escolas, hospitais e empresas das mais diferentes áreas. Clica no link e vai espiar a gama de livros incríveis!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Regras para geladeira coletiva (Material de apoio exclusivo na Loja)

  1 - Lembre que ela é coletiva e não apenas sua:  Os bons hábitos de higiene e limpeza devem prevalecer em uma geladeira coletiva . Mas se você não tem bons hábitos de higiene e limpeza não se preocupe: sempre é tempo de aprender. Os relacionamentos melhoram quando todos respeitam o ambiente coletivo. 2- Armazene os seus alimentos em um espaço específico dentro da geladeira. Um alimento em cada canto, não: ok? Uma maçã em uma prateleira, um pote em outra e a garrafinha em outra: não é prático. Se todos os alimentos estiverem concentrados apenas em um canto da geladeira será mais fácil administrar a validade deles. 3 - Consuma apenas o que é seu!  Pode parecer estranho para alguns essa colocação mas para outros não! É muito comum uns consumirem os lanches dos outros sem permissão? Sim! Não deveria ser assim? Não! Mas sempre é tempo de aprender e ter atitudes melhores . Principalmente, na geladeira coletiva da empresa.  4 - Derramou algo? no mesmo momento: limpe. Cada um deve limpar

Regras para uso de geladeira coletiva? (Material de apoio exclusivo na Loja)

Tenho geladeira coletiva na empresa, precisa ter regras? Sim! As regras, por alguns motivos, são muito  importantes - aqui destaco dois deles: 1)  a cultura da empresa deve estar em todos os lugares (Regras fazem parte da cultura empresarial) e 2) para o bom andamento de qualquer atividade coletiva deve existir regras. Preferencialmente, que as regras sejam postas antes de começar "o jogo" para que todos entendam como devem se comportar. Ter um Guia de uso na porta da geladeira coletiva da empresa ou próximo a ela será útil.  Utensílios que estão à disposição de várias pessoas devem ter regras de uso e higiene caso contrário cada um agirá da forma que faz em casa. E dessa maneira não funciona pois cada ambiente deve ter suas próprias regras e que sejam para todos, principalmente, os ambientes profissionais . Sem regras: um ambiente como a cozinha pode ser um estopim para desavenças e essas desavenças, geralmente, acabam se estendendo para atividades do cotidiano de trab

Geladeira coletiva da empresa: não deixe comida velha!

Assunto que pode parecer um pouco estranho para alguns - já para outros nem tanto! É muito comum, inclusive, as empresas abolirem a geladeira em virtude dos maus hábitos dos colaboradores. Se você é a pessoa que esquece comida dentro da geladeira e nunca mais lembra até criar mofo: anote na agenda uma vez por semana fazer uma limpa ou melhor tenha um dia especial para fazer a limpeza em seus alimentos. Quem sabe todas as sextas-feiras, assim, não fica comida ruim na geladeira no final de semana. A geladeira da empresa é um utensílio coletivo que deve ser tratado com educação e cuidado por todos. Deixar os alimentos envelhecerem dentro dela é o verdadeiro descaso com o resto dos colegas. Não espere que um colega lhe avise que tem algo ruim seu na geladeira. A responsabilidade por manter limpo o que usa é de cada um. Assuma as responsabilidades que são suas e evite estresses desnecessários com os colegas ou com os superiores. Ambiente coletivo todos devem ser colaborativos