Pular para o conteúdo principal

Quero receber Newsletter de Danielle SV

* indica obrigatório

Mailchimp intuitivo

Uma Breve História do Brasil


O tema principal do blog é planejamento e gestão que são temas amplos e que para aplicabilidade deles é preciso ter uma gama de habilidades técnicas e comportamentais. É importante que cada um observe e conscientize suas próprias necessidades e escolha o que ler de acordo com seu interesse. O que faço para colaborar com sua jornada é concentrar, em um mesmo lugar, informações, minhas experiências e literaturas que podem lhe ser úteis para melhorar e ou construir o seu planejamento e gestão. Para tanto, já escrevi e publiquei mais de oitocentos textos os quais foram lidos mais de duzentas mil vezes. Política, história, economia e relações exteriores são temas que sempre estão na pauta de conteúdo para quem trabalha com planejamento estratégico por isso trago para o blog os livros que li e gostei sobre diversos temas. No final do texto, para facilitar, vou deixar o link da Amazon para que você possa adquirir o livro.

Sobre os autores na ocasião da publicação desse livro - Mary del Priore, ex-professora de história da USP e da PUC/RJ, com pós doutorado na École des Hautes Études en Sciences Sociales, de Paris, tem 28 livros de história publicados e é vencedora de vários prêmios literários nacionais e internacionais, como Jabuti, Casa Grande & Senzala, APCA, Ars Latina, entre outros. Colabora com jornais e revistas, científicos e não científicos, nacionais e estrangeiros , e mantém uma coluna no jornal O Estado de S. Paulo. É sócia honorária do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e do PEN Club do Brasil. Atualmente, leciona na pós-graduação de história da Universidade Salgado de Oliveira.

Renato Venancio tem doutorado pela Universidade de Paris IV/Sorbone, é pesquisador do CNPq e professor do Departamento de Organização e Tratamento da Informação na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Além de artigos de revistas especializados, escreveu também três livros, sendo o mais recente Uma História da Vida Rural no Brasil.

Na imagem acima um trecho da contracapa que segue: Para entendermos nosso lugar e papel no concerto das nações, será cada vez mais necessário nos conhecermos melhor. Em linguagem acessível, Uma Breve História do Brasil oferece múltiplas informações sobre o passado. Não de maneira enciclopédica ou acadêmica. Mas de forma articulada e vida, que permita a cada leitor compartilhar o conhecimento capaz de enriquecer seu dia a dia como cidadão do mundo. E, sobretudo, como brasileiro.

O livro está dividido em 33 capítulos, são eles:

1. O Brasil na rota do oriente 
2. Sem fé, sem lei, sem rei
3. Religiosidades na colônia
4. Poder & Poderes
5. Engenhos, escravos e guerras
6. Quilombos e Quilombas
7. Perto do ouro e Longe do rei
8. O Século Sertanejo
9. Cidades Coloniais
10. Ler, escrever e criar
11. Motins e rebeliões na colônia
12. Fronteiras coloniais
13. Mobilidade e Diversificação
14. A última fase colonial
15. A casa de Bragança no Brasil
16. Independência & independencias
17. O Brasil como Nação
18. 1850: Mutações
19. O Império Ameaçado
20. Surge um novo poder
21. Emancipacionistas, Abolicionistas e Escravistas
22. Nasce a República
23. Uma Belle Époque não tão Belle
24. Ambiguidades do Movimento Operário
25. Os fazendeiros industriais
26. Uma República velha?
27. 1930: Revoluções e Golpes
28. Trabalhadores do Brasil
29. Tentações Militares e outras tentações
30. Os militares no poder
31. Da Guerrilha à abertura
32. Uma democracia de massa
33. O passado do século XXI

Algumas passagens do livro:

"Até a descoberta do ouro em Minas Gerais, a cidade do Rio de Janeiro não tinha muito encantos. Possuía, no século XVII, uma fortaleza bem guarnecida de canhões e um centro comercial muito animado por embarcações vindas do Rio da Prata e de Angola. Da América espanhola, especialmente do Peru, vinham muitas patacas de prata para pagar escravos clandestinos. A importância desse comércio ficou gravada na devoção a Nossa Senhora de Copacabana - de origem boliviana -, mais tarde instalada na pequena capela da praia do mesmo nome."

"Paralelamente à preocupação religiosa, os livros procuravam noticiar as riquezas da terra. A mais clara informação sobre a natureza e sobre os moradores da terra de Santa Cruz nasceu da pena de um sensível senhor de engenho baiano, Gabriel Soares de Souza. Referimo-nos ao já mencionado Tratado descritivo do Brasil, terminado em 1587. Resultante de um pedido da Coroa espanhola que então subjugava Portugal, o livro narra com minúcias o lugar que o autor adotara (era português) e onde passara da pobreza à riqueza graças ao açúcar."

"No território paulista, a agricultura rústica ganhou impulso. Pequenas roças, abertas em clareiras de mata, produtoras de alimentos básicos para a família e com algum excedente para o mercado interno, conviviam com fazendas açucareiras voltadas para a exportação. Na maior parte das vezes, dispersos e isolados, os grupos de roceiros - denominados "caiçaras" no litoral e "caipiras" no interior - acabavam por se tornar quase uma autarquia, dependendo da vila mais próxima apenas para efetuar trocas: mandioca, feijão, bananas e laranjas por ferro, sal, instrumentos agrícolas, armas e pólvora."

"Em 1831, a segunda renúncia do imperador buscava apaziguar os ânimos no Brasil. Tal efeito não é difícil de ser compreendido: como herdeiro do trono ficou uma criança - o futuro d. Pedro II -, que nem ao menos havia completado os 5 anos de idade. Na prática, portanto, a abdicação significava a transferência do poder para as elites regionais, tendo em vista que o cargo máximo do governo - inicialmente na forma de regência trina (ou seja, composto por três regentes) e, depois, na forma da escolha de um único regente, como foi Diogo Feijó (1835-37) e Araújo Lima (1837-40) -, passou a ser definido via eleição."

Livro: Uma breve história do Brasil
Autores: Mary del Priore e Renato Venancio
Editora: Planeta
Número de páginas: 319
ISBN: 978-85-7665-529-9
Edição: 2010

Como prometi, abaixo segue o link da Amazon para que você possa adquirir o livro que citei acima. O blog é parceiro Amazon então quando você se inscreve e compra com meu link (isso quer dizer clicando nos links que indico aqui no blog) apoia o conteúdo para que ele siga existindo cada vez mais e melhor:
















Sabia que aqui no blog tem mais de 100 títulos que já li e gostei?


Quais assuntos e ou livros você gostaria de ver por aqui? Escreve aqui embaixo ou me manda nas redes sociais:

No Instagram: @svdanielle

No Facebook: @svdanielle (Promoções e informações)

No Facebook: @sobremarmita (Receitas saudáveis, reflexões, produtos e livros)

No Facebook: @dsegundamao (Sustentabilidade)

Bom trabalho!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Regras para geladeira coletiva (Material de apoio exclusivo na Loja)

  1 - Lembre que ela é coletiva e não apenas sua:  Os bons hábitos de higiene e limpeza devem prevalecer em uma geladeira coletiva . Mas se você não tem bons hábitos de higiene e limpeza não se preocupe: sempre é tempo de aprender. Os relacionamentos melhoram quando todos respeitam o ambiente coletivo. 2- Armazene os seus alimentos em um espaço específico dentro da geladeira. Um alimento em cada canto, não: ok? Uma maçã em uma prateleira, um pote em outra e a garrafinha em outra: não é prático. Se todos os alimentos estiverem concentrados apenas em um canto da geladeira será mais fácil administrar a validade deles. 3 - Consuma apenas o que é seu!  Pode parecer estranho para alguns essa colocação mas para outros não! É muito comum uns consumirem os lanches dos outros sem permissão? Sim! Não deveria ser assim? Não! Mas sempre é tempo de aprender e ter atitudes melhores . Principalmente, na geladeira coletiva da empresa.  4 - Derramou algo? no mesmo momento: limpe. Cada um deve limpar

Regras para uso de geladeira coletiva? (Material de apoio exclusivo na Loja)

Tenho geladeira coletiva na empresa, precisa ter regras? Sim! As regras, por alguns motivos, são muito  importantes - aqui destaco dois deles: 1)  a cultura da empresa deve estar em todos os lugares (Regras fazem parte da cultura empresarial) e 2) para o bom andamento de qualquer atividade coletiva deve existir regras. Preferencialmente, que as regras sejam postas antes de começar "o jogo" para que todos entendam como devem se comportar. Ter um Guia de uso na porta da geladeira coletiva da empresa ou próximo a ela será útil.  Utensílios que estão à disposição de várias pessoas devem ter regras de uso e higiene caso contrário cada um agirá da forma que faz em casa. E dessa maneira não funciona pois cada ambiente deve ter suas próprias regras e que sejam para todos, principalmente, os ambientes profissionais . Sem regras: um ambiente como a cozinha pode ser um estopim para desavenças e essas desavenças, geralmente, acabam se estendendo para atividades do cotidiano de trab

Geladeira coletiva da empresa: não deixe comida velha!

Assunto que pode parecer um pouco estranho para alguns - já para outros nem tanto! É muito comum, inclusive, as empresas abolirem a geladeira em virtude dos maus hábitos dos colaboradores. Se você é a pessoa que esquece comida dentro da geladeira e nunca mais lembra até criar mofo: anote na agenda uma vez por semana fazer uma limpa ou melhor tenha um dia especial para fazer a limpeza em seus alimentos. Quem sabe todas as sextas-feiras, assim, não fica comida ruim na geladeira no final de semana. A geladeira da empresa é um utensílio coletivo que deve ser tratado com educação e cuidado por todos. Deixar os alimentos envelhecerem dentro dela é o verdadeiro descaso com o resto dos colegas. Não espere que um colega lhe avise que tem algo ruim seu na geladeira. A responsabilidade por manter limpo o que usa é de cada um. Assuma as responsabilidades que são suas e evite estresses desnecessários com os colegas ou com os superiores. Ambiente coletivo todos devem ser colaborativos